NOTA: Qualquer pessoa que se sinta ofendida pelos conteudos /opiniões aqui expostos deve demonstrá-lo para o email abaixo indicado. Os comentários estão abertos com a devida moderação e os artigos a publicar neste BLOG devem ser enviados para o email:
vozeslivresmacao@sapo.pt
Visitantes Online
Terça-feira, 27 de Fevereiro de 2007

Festival da Lampreia

«A Câmara Municipal de Mação lamenta o cancelamento de um evento com a qualidade e importância do Festival da Lampreia, estando disponível para qualquer esclarecimento ou explicação.»


 


Na última Assembleia Municipal tive o cuidado de questionar o Executivo Municipal, sobre o cancelamento do Festival da Lampreia.


A resposta do Executivo PSD é a de que não há Lampreia no Rio Tejo e como prova disso vai ser feita uma reportagem pela RTP para que todos fiquem bem esclarecidos.


Confrontei o executivo com outros Festivais da Região onde alguma Lampreia é importada (Espanha e França), ao que me responderam que o valor dessa Lampreia ronda os 60€, sendo um valor demasiado alto para praticar num Festival.


O executivo afirma que estas são as verdadeiras razões para o cancelamento, e qualquer outra razão não corresponde à verdade.


Quer-me parecer que não é bem assim, senão vejamos:



  1. No ano passado a razão de não haver festival da Lampreia foram as dificuldades financeiras da CM Mação, no entanto, verifico que elas se mantêm este ano, parece ser fundamental para o Executivo arranjar uma nova desculpa.
  2. Há quem diga também que este é um Festival a realizar de 4 em 4 anos, mas que grande coincidência com os ciclos eleitorais.
  3. Corre o rumor de que alguém solicitou de manhã a presença da ASAE no seu restaurante, e pedindo que a mesma estivesse presente no Festival da Lampreia.
  4. A CM Mação preparava-se para nesse mesmo dia à tarde fazer uma conferência de imprensa para anunciar o Festival, e por razões que desconheço ou por coincidência, a CM Mação anuncia à imprensa o cancelamento do Festival.
  5. Depois vem a confusão, em Mação parece que o Tejo tem água a mais, mas em Tomar já dizem que tem água a menos, estamos perante grandes contradições.
  6. Porquê que só participam dois restaurantes no Festival da Lampreia em Mação, alguém tem respostas?

A conclusão que tiro desta situação é que para a CM Mação foi a cereja no topo do bolo, ou seja, já nos livramos de gastar mais uns trocos e a culpa não é nossa.


Ainda sugeri que fosse adiado para Abril, como o proprietário do “Kabras” pensa e bem que, já vai haver Lampreia, mas o executivo apressou-se logo a tirar esta ideia do “ar” da mesma forma como uma Lampreia nos escorrega das mãos.


Percebi então claramente que o interesse do executivo no evento era nulo, quer-me também parecer que as razões nada têm a ver com as Lampreias.


Já se gastou dinheiro com este Festival da Lampreia que, afinal não vai existir, assim vai o Reino da Incompetência ...


 


Um Abraço,


Luís Sérgio Silva

Publicado por vozeslivresmacao às 12:15
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2007

Cancelado Festival da Lampreia em Mação

macao.jpg


 É a própria Câmara que dá conta do cancelamento em comunicado que aqui transcrevemos.


« A Câmara Municipal de Mação informa que o Festival da Lampreia foi cancelado. O evento estava programado para os dias 2 a 11 de Março tendo a Autarquia tudo preparado, com os contratos devidamente assumidos para que corresse com a qualidade habitual.


Hoje a Câmara Municipal de Mação foi contactada pelos proprietários dos Restaurantes “Lena” e “Kabras” que participariam no Festival, que disseram não conseguir assegurar a quantidade de lampreia suficiente para a realização do evento pois a lampreia está atrasada na subida do Tejo.


A proprietária do Restaurante “Lena” explica que “Há pouca lampreia. Há, mas não dá para satisfazer grupos grandes. No restaurante consigo marcar com os clientes, digo se há, ou não, disponibilidade. No Festival seria diferente, as pessoas não marcam e seria uma vergonha para mim se aparecessem e não tivesse lampreia para lhes servir. Tenho grupos com marcações dependentes do que o fornecedor me diz. A lampreia está atrasada na subida do Tejo, aqui na Barragem ainda não se apanhou nenhuma. Tenho esperança que apareça em Abril”.


O proprietário do Restaurante “Kabras” explica que “aqui no Tejo a lampreia vem sempre atrasada e este ano está mais. Há muita água e espera-se que o caudal baixe para se apanhar. Costumava haver na altura em que seria o Festival mas estamos com medo que atrase ainda mais e seria arriscado se as pessoas aparecessem e não houvesse. No Restaurante conseguimos satisfazer os clientes mas no Festival seria diferente. O melhor é cancelar embora pense que em Abril já haverá lampreia”.


A Câmara Municipal de Mação lamenta o cancelamento de um evento com a qualidade e importância do Festival da Lampreia, estando disponível para qualquer esclarecimento ou explicação.»


Fonte: http://www.radio.cidadetomar.pt/noticia.php?id=3981

Publicado por vozeslivresmacao às 17:36
| Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
|

“TOMAR RECORRE À LAMPREIA VINDA DE ESPANHA”

Lampreira.jpg



O Jornal Público deste sábado, dia 19, publica uma notícia da autoria do jornalista Manuel Fernandes Vicente sobre a Mostra da Lampreia de Tomar, com o título “Tomar recorre à lampreia vinda de Espanha”


 


Aqui fica o “recorte”:


 


“A sexta Mostra da Lampreia vai começar hoje em Tomar e prolonga-se até ao dia 6 de Março, apesar da falta do apreciado ciclóstomo nos rios da região. A cidade do Nabão aposta agora forte no recurso às lampreias vindas doutras regiões e, sobretudo, de Espanha.


 


A ausência de chuva, diminuindo os caudais de rios como o Tejo, o Zêzere e o Nabão, tem impedido que as lampreias subam os cursos de água para a desova. Mas a escassez, de que a maioria dos pescadores da região já se queixa, não irá comprometer a mostra tomarense, ao contrário do que sucedeu, por exemplo, em Mação, onde a câmara e os dois restaurantes aderentes ao festival da lampreia decidiram cancelá-lo.


 


"A Câmara de Tomar ainda esteve preocupada com a falta de lampreias devido à seca que estamos a atravessar, mas a verdade é que a adesão dos restaurantes à mostra deste ano voltou a ser muito grande e está garantido que haverá lampreia suficiente para todos", disse o presidente do executivo municipal, António Paiva. O autarca sublinha que os restaurantes garantem o fornecimento e, "dada a boa dimensão de muitos deles, que são procurados sobretudo aos fins-de-semana, não se preveêm problemas de fornecimento nem de encarecimento dos produtos".


 


De uma forma ou doutra, quem mais se queixa são os pescadores da região que, ao contrário de anos anteriores, não conseguiram este ano obter qualquer rendimento com as lucrativas pescarias de lampreias, vendidas por vezes a mais de 50 euros cada exemplar. Segundo garantem, "só as águas das chuvas limpam os rios e, como não chove, a lampreia não se atreve a sair do mar e a vir para montante".


 


Para Ivo Santos, vereador do Turismo de Tomar, a mostra é também uma oportunidade para dar a conhecer a qualidade dos restaurantes da cidade, cuja imagem é reforçada pela realização de três ciclos gastronómicos promovidos ao longo do ano. É que, para além da mostra da iguaria, a autarquia e as casas de pasto locais desenvolvem ainda anualmente o Congresso da Sopa, em Maio, e um ciclo dedicado aos pratos com feijão, habitualmente em Outubro.


 


Arroz de lampreia, lampreia frita com açorda de ovas ou lampreia à bordalesa - é com estes e outros manjares que os visitantes de Tomar podem contar a partir de hoje e ao longo das próximas semanas. "A aposta gastronómica da autarquia tem obtido resultados. Temos bons restaurantes e só nos últimos três anos abriram dez novas unidades de restauração na cidade, tendo todos boa clientela, sobretudo aos fins-de-semana", nota António Paiva."


Fonte: http://www.otemplario.pt/por/conteudosdetalhe.asp?idConteudo=1902

Publicado por vozeslivresmacao às 17:33
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|

O Reino da Incompetência

Numa Assembleia Municipal bem perto de nós, um Vereador em representação do Presidente da Câmara afirma que esta Carta Educativa é da sua autoria, ou seja, mandou elaborar uma Carta Educativa a uma empresa em 2004, mas como ela estava desactualizada, o próprio Vereador do pelouro da Educação viu-se na obrigação de ser, ele mesmo a fazer uma nova Carta Educativa, actualizada a Janeiro de 2007.


Parece claro que pedir duas vezes os 50%(5500€) do valor da Carta Educativa ao Ministério da Educação era mesmo incompetência a mais.


Em 2004 o mesmo Vereador, pelos vistos, julgou-se incompetente para fazer a Carta Educativa, por isso nada mais normal que a encomende a uma empresa especializada na área como manda a Lei.


O mesmo Vereador 3 anos depois já não se acha incompetente para fazer a Carta Educativa e resolve ele mesmo fazer o trabalho.


Quem é que terá sido o incompetente que passou ao Senhor Vereador um atestado de competência para a realização do trabalho?


Seria interessante analisar o Curriculum destes intervenientes no processo, para se poder verificar se realmente eles percebem ou não da matéria, ou mais que não fosse para verificar o número de Cartas Educativas que cada um deles tem no seu Curriculum.


Na aplicação da Lei em vigor, a Assembleia Municipal tem a última palavra, ou seja, vota a favor ou contra a Carta Educativa apresentada pelo Executivo, e ultrapassado este passo administrativo temos um documento FINAL, a enviar para o Ministério da Educação e que já não é passível de mais alterações, a não ser por nova deliberação da Assembleia Municipal.


A oposição nesta Assembleia Municipal teve o cuidado de ler e debater as várias versões do documento, e nesta Assembleia verificou que alguns dos erros grosseiros da primeira versão já tinham sido corrigidos, valha-nos ao menos isso, valeu a pena o conSelho com S e não com C, tirando estes pequenos erros ortográficos verificou que na caracterização do concelho a mesma não correspondia à realidade e noutros casos nem sequer existe caracterização, em vários quadros apresentados no documento eram vários os erros de somas, avaliações técnicas de terrenos onde temos valores dos 3€/m2 aos 245€/m2 dentro da mesma localidade é no mínimo estranho o critério destas avaliações quando algumas delas estão lado a lado?


O documento não teve a frontalidade, nem a seriedade de dizer que escolas realmente fecham e quais as que continuam abertas e por quanto mais tempo (estamos a falar de um documento para 5 anos a integrar no PDM).


Do parecer do ConSelho Municipal de Educação ninguém naquela Assembleia lhe pôs os olhos em cima, foi lida uma coisa que se diz ser uma Acta da reunião do CME, mas pôr-lhe os olhos em cima também é mentira, só o Senhor Vereador teve o prazer de a ler, mais grave ainda, a dita Acta fala em encerramento de escolas que no documento entregue aos Membros da Assembleia ainda iriam continuar abertas.


Apesar desta grande trapalhada a oposição pediu para que o documento fosse retirado e emendado, voltando logo que possível numa próxima Assembleia Municipal.


A resposta do executivo foi clara “Já não há tempo para fazer isso...”, e a maioria não teve qualquer pudor em votar a favor a incompetência do Senhor Vereador, assinando por baixo com elogios ao documento, só se pode compreender esta atitude se estivéssemos a falar de documentos diferentes.


Perante o que estava a acontecer um Vogal daquela Assembleia Municipal questiona se o documento a enviar ao Ministério da Educação é aquele que lhe foi entregue pelo Presidente da Assembleia Municipal ou se depois da deliberação da Assembleia ainda vai existir uma nova versão do documento?


Esta intervenção parece ter sido a gota de água e fez com que o Senhor Vereador perdesse por completo a postura serena e democrática que um lugar de Vereador merece, onde os presentes assistiram a algo parecido com uma qualquer telenovela brasileira tipo “Senhorzinho Malta”, o caos instalou-se com a gritaria desenfreada do Senhor Vereador para com o Vogal da Assembleia, não se sabe ao certo qual o objectivo dessa gritaria, se era para intimidar o Vogal?, ou fazer com que ele invertesse o caminho da transparência que estava a seguir?, ou votasse o documento a favor?, ou se fosse embora?, ou lhe desse com uma cadeira em cima?, é um verdadeiro mistério o objectivo desta gritaria do Senhor Vereador.


Num País Democrático só se compreende este estilo quando os argumentos faltam, se o Senhor Vereador estivesse com a razão não tinha com certeza necessidade de recorrer a estes métodos, não será?


Passando-se isto comigo, em primeiro lugar recuso-me a responder a tais provocações e a uma tremenda falta de educação, se alguém que se diz católico é capaz de fazer isto, vai com toda a certeza ter de rezar muitos Pais Nossos e Avé Maria´s, a não ser que também meta uma “cunha” ao Padre.


Quem não ADMITE tais impropérios sou eu Senhor Vereador.


Não ADMITO, enquanto Membro de uma Assembleia que me apresentem um documento, que o mesmo seja votado, e o documento final seja diferente daquele que eu votei, isto nunca vou ADMITIR.


Agora vamos esperar para ver quem admite o quê?


 


A incompetência é maior quando o incompetente não dá conta de que a sua incompetência realmente existe...


 


Um Abraço,


Luís Sérgio Silva

Publicado por vozeslivresmacao às 15:30
| Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
|
Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2007

Socialistas debatem Carta Educativa

Agenda

Publicado por vozeslivresmacao às 16:06
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Cuidado a Primavera está quase aí!!!

p1.jpg
p2.jpg
Publicado por vozeslivresmacao às 14:53
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2007

Análise do Referendo ao Aborto no Concelho de Mação

No passado dia 11 de Fevereiro efectuou-se o segundo referendo ao aborto em Portugal, desta vez o Sim saiu vencedor.


Em Mação registou-se uma afluência às urnas acima dos 50%, pode-se dizer que em Mação o SIM é vinculativo, se existisse uma Lei para cada concelho, o que não é o caso. Neste concelho assistiu-se a resultados completamente dispares, o que não deixa de ser preocupante do ponto de vista sociológico, e o caso não para menos, mas comparando com os resultados Nacionais existe uma grande coincidência geográfica de resultados.


Olhando para o ranking do NÃO temos a freguesia de Cardigos com 80,41%, a Amêndoa com 58,38%, a Aboboreira com 52,54% e o Carvoeiro com 50,49%.


Olhando agora para o ranking do SIM temos Mação com 69,78%, Ortiga com 68,94%, Envendos com 60,90% e Penhascoso com 50,88%.


É também curioso verificar que nos concelhos de Vila de Rei, Sertã e Proença-a-Nova o Não ganhou, e estamos a falar de realidades politicas bem diferentes, ou seja temos Vila de Rei com o PSD a dominar por completo, e depois temos outros dois concelhos que são governados pelo PS, no entanto, isto parece não ter qualquer efeito nos resultados obtidos.


Afinal a que se deve esta realidade e porquê?


Temos o Norte do concelho a dizer Não e o Sul a dizer Sim.


Será isto devido à A23?


Será isto um problema puramente católico onde de um lado temos os mais crentes e do outro os menos crentes?


Será que temos um Norte muito Conservador e um Sul muito Liberal?


Será que estamos perante um problema de maior interiorização a Norte?


Será que temos pessoas infoexcluídas a Norte ou a Sul?


Será que só existem Idosos a Norte?


Será que só existem Jovens a Sul?


Será que a Norte ouvem um Órgão de Comunicação Social diferente do que se ouve a Sul?


Será que a Igreja Católica só fez campanha a Norte?


Será que só há Católicos a Norte?


Será que os eleitores do Sim são assassinos?


Será que os eleitores do Não são hipócritas?


Será que a Norte as pessoas não têm relações sexuais, a não ser para procriar?


Será que se usa mais métodos contraceptivos a Norte e menos a Sul?


Será que a Norte a cultura do planeamento familiar funciona melhor do que no Sul?


Será que temos mais riqueza no Norte do que no Sul?


Será que a Norte têm mais facilidade em ir a Espanha fazer um aborto?


....


São mesmo necessárias muitas interrogações para perceber a razão deste aglomerar de votos “Não” a Norte e “Sim” a Sul.


Parece-me que só se encontram explicações plausíveis se andarmos para trás no tempo, e percebermos a cultura sociológica dos nossos antepassados, e percebermos como ainda está enraizada na sociedade dos dias de hoje.


Não foi por acaso que Portugal teve início em Guimarães!!!, e toda a expansão do território aconteceu à custa de batalhas contra os Mouros onde a Igreja Católica sempre disse presente, é por demais notório que a Igreja ainda consegue dominar determinadas regiões do país e fazer prevalecer os seus ideais.


No fundo é aceitável que uma religião propague uma determinada doutrina, mas é também altamente reprovável que queira obrigar outros a seguir a sua doutrina, esta situação é lamentável e faz-nos regressar aos tempos medievais, onde a religião se misturava com o Estado.


Será por esta e por outras que o número de católicos não praticantes aumenta todos os dias?


Olha para o que te digo, não olhes para o que eu faço.



Não existe de certeza absoluta nenhum Padre que nunca tivesse pago um Aborto!!!


Não existe de certeza absoluta nenhuma Freira que tivesse feito um Aborto!!!



Pessoalmente, sou contra o Aborto, mas quem sou eu para impedir que alguém o faça!!!


 


Luís Sérgio

Publicado por vozeslivresmacao às 12:23
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Referendo ao Aborto no Concelho de Mação


COMPARATIVO: MAÇÃO


 



Freguesias apuradas



8



Freguesias por apurar



0






Ano



2007



1998



Inscritos



7752



 



8780



 



Votantes



3931



50.71%



3683



41.95%



Em Branco



82



2.09%



52



1.41%



Nulos



57



1.45%



42



1.14%





2007



1998



Opções



Votos



%



Opções



Votos



%



Sim



1969



51.93



Sim



1357



37.81



Não



1823



48.07



Não



2232



62.19


Publicado por vozeslivresmacao às 09:42
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Referendo ao Aborto no Concelho de Mação- Resultados a Sul


 


COMPARATIVO: Envendos


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


271


60.90


Sim


185


51.53


Não


174


39.10


Não


174


48.47



 


COMPARATIVO: Mação


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


688


69.78


Sim


481


62.31


Não


298


30.22


Não


291


37.69



 


COMPARATIVO: Ortiga


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


202


68.94


Sim


161


57.71


Não


91


31.06


Não


118


42.29



 


COMPARATIVO: Penhascoso


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


231


50.88


Sim


182


41.27


Não


223


49.12


Não


259


58.73

Publicado por vozeslivresmacao às 09:33
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2007

Referendo ao Aborto no Concelho de Mação- Resultados a Norte


 


COMPARATIVO: Aboboreira


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


159


47.46


Sim


93


29.43


Não


176


52.54


Não


223


70.57


 



 


COMPARATIVO: Amêndoa


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


144


41.62


Sim


99


28.05


Não


202


58.38


Não


254


71.95


 



 


COMPARATIVO: Cardigos


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


123


19.59


Sim


72


9.18


Não


505


80.41


Não


712


90.82


 



 


COMPARATIVO: Carvoeiro


2007


1998


Opções


Votos


%


Opções


Votos


%


Sim


151


49.51


Sim


84


29.47


Não


154


50.49


Não


201


70.53


 

Publicado por vozeslivresmacao às 23:42
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|

PS VISITOU CARDIGOS


Foi no passado dia 20 de Janeiro do presente ano, que alguns socialistas do nosso concelho, simpatizantes e militantes, (+ de duas dezenas), efectuaram a visita à freguesia de Cardigos. Esta visita vem na sequência do projecto apresentado pelo Dr. Nuno Neto, actual Presidente da concelhia do PS/Mação. O objectivo é visitar todas as freguesias do nosso concelho, estas visitas, iniciaram-se no ano transacto de 2006, tendo sido já visitadas as freguesias de Ortiga, Aboboreira e Carvoeiro.


O objectivo de tais visitas, é contactar a população, ver “in loco” quais os seus problemas, nomeadamente, no que concerne à gestão autárquica e cujas competências sejam do município ou das Juntas de Freguesias. É óbvio que os problemas são muitos, mas o mais grave, é a falta de vontade dos nossos autarcas na  resolução dos mesmos.


A visita a Cardigos, sejamos sinceros, correu de uma forma muito positiva e bem organizada. No final da visita, era visível o contentamento de todos os que nela participaram, isto a nível de organização, porque a nível do que vimos, foi de certa forma frustrante e triste, principalmente para os que residem na freguesia e se deparam quase todos os dias com esses problemas que os vão afectando. A situação ainda se torna mais drástica, sabendo que existe um vereador da nossa freguesia, com pelouros importantes na autarquia, mas que em minha opinião pessoal, se esqueceu daqueles que o ajudaram e muito….. a eleger.  Ser bom político, ou um excelente orador, é de facto um grande dom, só que por vezes devemos ser mais executivos e menos interventivos.


A visita teve o seguinte programa:


1.                  Visita à ponte da ribeira da Pracana em Sernadas, que sofreu danos com as intempéries que assolaram o país um pouco por todo lado nos últimos meses de 2006;


2.                  Visita a uma suinicultura na Chaveira, bem como à empresa de José António, que se situa entre a Chaveira e Carrascal;


3.                  Visita à salsicharia em Cardigos – Presuntos Tio Zé da Beira e ainda à fábrica de velas do Senhor António Martins da Silva;


4.                  Visitou-se ainda, a abandonada e degradada Praia Fluvial de Vergancinho bem como  a bonita mas desprezada fonte romana em Chão do Pião – Carvalhal;


5.                  Saliente-se ainda, a visita às novas instalações da Santa Casa da Misericórdia de Cardigos, (agora uma mais valência, com serviço nocturno), instalações de grande qualidade, de facto grandiosa obra, que Cardigos bem merece! Até porque agora o ar que ali se respira é puro, o ambiente extremamente agradável , finalmente esta casa parece-me estar entregue em boas mãos, gente que trabalha a pensar nos Cardiguenses, no bem estar dos nossos idosos, gente que não quer guerras nem conflitos. Finalmente parece que a PAZ, chegou áquela grandiosa instituição;


6.                  Por último, uma visita ao Azinhal, onde nos recebeu o empresário Leonel Lopes da Silva, visionámos ainda o estado lamentável das ruas daquela aldeia.


7.                  A visita terminou no café/restaurante regional, (agora com  nova gerência), do amigo Fernando Dias, onde terminámos com um excelente lanche e onde já se havia realizado o almoço.                                                                      


 


 Conclusão:


Onde é que andam os nossos autarcas, eleitos por maioria? Será que só se lembram de Cardigos e das outras freguesias na altura de eleições? A ponte das Sernadas continua intransitável, dificultando a vida, nomeadamente, às gentes das Sernadas e Freixoeiro. Felizmente que não Caiem pontes  todos os dias, mas nestas situações o executivo municipal, tem que ter imaginação e arranjar soluções mais rápidas. É preciso ver que a estrutura da ponte não foi afectada e a solução não é tão difícil como o que se pensa, foi essa também a opinião de técnicos credenciados no local. Basta só haver boa vontade. Será que esta situação vai manter-se até quando?


Onde é que está a zona industrial de Cardigos??? Será que já se esqueceram das promessas feitas ao eleitorado??? Vamos chegar a 2009 e de certeza tudo na mesma. Prometer é fácil, cumprir é um pouco mais difícil. Os empresários de Cardigos já empregam umas boas dezenas de funcionários, mas parece que continuam esquecidos e ao abandono.


A Praia Fluvial de Vergancinho, que tristeza! Vidros partidos, casas de banho abertas, um completo abandono, que sinceramente dá pena e é de lamentar. Que desnorteio, ou falta de interesse dos nossos (des) governadores locais.


No Azinhal, a estrada está em péssimas condições, quase intransitável, as tampas dos esgotos bastante salientes do piso, uma vergonha total! Parece que começaram a parte do saneamento, mas desertaram, nunca mais ninguém os viu, o que está a criar enorme revolta nalguns residentes.


Numa freguesia, verdadeiramente laranja, já nem os autarcas eleitos pelo PSD, se lembram de Cardigos. Não há uma política de proximidade por parte do executivo camarário, não há obras e sem elas não há progresso. Só se trabalha para a imagem e para a fotografia, esquece-se o eleitorado. É Preciso lembrar que Mação não é só a sede de concelho, Mação tem mais 7 freguesias. Mas se problemas destes acontecessem só em Cardigos, ainda seria tolerável, mas o pior é que é por todo o concelho. Redes viárias sem condições, milhares e milhares de euros gastos em piscinas que não abrem. Etares a funcionarem mal, Saneamento esquecido, Cultura só para alguns, em fim, este concelho está mesmo mal…….


Todos sabemos que os tempos são de crise, é tempo de vacas magras, mas mesmo assim é preciso estabelecer prioridades, ver quais as necessidades que mais urgem para a nossa terra, sair dos gabinetes e palmilhar o terreno, ter em mente que foram eleitos pelo povo e é em prol do povo que devem trabalhar, servir a população o melhor possível e com os meios e recursos disponíveis, é só querer e muito mais poderá ser feito. Mação bem merece.


Espero que os militantes e simpatizantes do PS/Mação, se unam todos o mais breve possível, (já estamos bem melhor), vamos todos trabalhar pelo Partido Socialista, esquecendo algumas “guerrilhas” ou mágoas, podemos não simpatizar ou gostar tanto de A, ou B, mas vamos pensar no PS, se em 2009, estivermos unidos, tenho quase a certeza que poderemos ganhar Mação. Há gente muito competente, com experiência e sentido de responsabilidade, que fará muito melhor por Mação.  A desunião só interessa ao PSD e prejudica o eleitorado, e a nossa terra vai ficando deplorável e esquecida.  Para terminar vou apenas dizer o seguinte: passado um ano e pouco, após as eleições, já vi muita gente desiludida e arrependida de votar nos actuais lideres da CMM, acredito que é possível inverter esta tendência. Eu felizmente mudei, acredito que muitos outros o irão fazer, com a vitória do PS, Mação só terá a ganhar.


 


Um abraço amigo – Vitor Silva


Publicado por vozeslivresmacao às 23:22
| Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Contacto:

Vozes Livres Mação

Cria o teu cartão de visita

Pesquisar neste blog

 

Abril 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

Posts recentes

Cá se fazem, Cá se pagam!...

a boy for all seasons

Pedro Passos Coelho "o fa...

Banalidades do Correio da...

Vater Marques na Rede Nac...

Judiciária investiga uso ...

Posto de Vigia 74 - Outub...

Posto de Vigia de Setembr...

João Pereira reclama vari...

Ponto de Vigia - Julho/20...

EDP CONTINUA A MANTER NA ...

EIS O QUE ESTE NOVO PSD N...

PONTO DE VIGIA - JUNHO

MAÇÃO . VACARIA VIRA GALE...

CARDIGOS.JUNHO DE 1966 . ...

POSTO DE VIGIA

CONVÍVIOS COM VIDA DENTRO...

MAÇÃO E O BREJO QUE NÃO V...

OBRIGADO,ÉVORA ! SEM PALA...

AS VOLTAS DE UMA RENUNCIA...

QUEM QUER VIR A ÉVORA DE ...

ÁGUA POR FAVOR

"JAZ MORTO, E APODRECE"

SALDANHA ROCHA E CAMÂRA M...

Ponto de vigia Abril 2...

EURICO BRITO LOPES

DE ENCERRAMENTO EM ENCERR...

MAÇÃO - VALENÇA DO MINHO

UMA DAS CONDIÇÕES PARA QU...

Posto de Vigia

Arquivos

Abril 2013

Dezembro 2011

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

tags

todas as tags

Links

Participar

Participe neste blog

subscrever feeds

blogs SAPO