Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vozes Livres de Mação

Vozes Livres de Mação

Vozes Livres de Mação

Vozes Livres de Mação

05
Mai06

Aflomação: o ser e não ter!!!

vozeslivresmacao

Toda e qualquer associação tem um motivo, uma razão para existir. Os exemplos não faltam. Sem ser exaustivo, passo a enunciar: a Filarmónica dedica-se à música, a ADM ao desporto, mais em particular ao futebol, dispondo, pois, dos seus músicos e dos seus atletas, respectivamente. Uma associação florestal deveria ter floresta própria, ou dos seus associados.


Que floresta tem a AFLOMAÇÃO? Sendo uma associação florestal quais são os terrenos que administra, que actividades desenvolve nesses mesmos terrenos? Onde são eles? Em termos florestais que produz a Aflomação?


E porque tem sapadores florestais? Quais são os terrenos onde desenvolvem o seu trabalho? Ficando como perguntas supérfluas, onde vão buscar os rendimentos para todas estas despesas? Fizeram trabalhos para a CMM? E os serviços competentes da referida autarquia?


Todas estas perguntas têm como finalidade, apenas e tão só, o chamamento de atenção, por parte de um simples cidadão e aderente à ZIF de Aldeia de Eiras, no seu direito de cidadania, para uma situação inexplicável que se prepara para surgir, na feitura das ZIF´S.: a provável imposição estatutária da Aflomação como entidade gestora das ZIF’S. Como a Portaria nº. 222/2006, de 8/03, art. 1º determina, a ZIF tem que possuir pessoal que a possa gerir, tanto no aspecto técnico, como no aspecto administrativo.


Em Abril de 2005 um artigo de opinião do Presidente da AFLO publicado no BLOGMAÇÃO, que passo parcialmente a transcrever: “ a principal ferramenta de trabalho da associação será a esperada Lei das ZIF’s ….”


Ou seja, mais uma empresa intermediária que presta serviços, não sendo obrigatoriamente uma empresa florestal. Começou-se a tarefa pelo telhado. Qualquer casa começa pelas fundações. As ZIF´S, em Mação não, começam pelo telhado.


Para que serve a AFLOMAÇÃO? Para ser uma empresa vivendo de expedientes legais, que se sobreporá às associações, controlando-as de todos os modos? Se as ZIF’S não têm dimensão, esse será outro problema a ser resolvido pelos sócios com terreno florestal. Porque não uma junção de algumas? Aldeia de Eiras, Castelo Amêndoa que estão em fase de arranque, por exemplo? Dividir para quê? Para a AFLOMAÇÃO reinar…


Não é preciso, obrigado.


A Aflomação que se dedique aos seus estudos, aos seus terrenos e se, por vontade do gestores das ZIF’S, for decidido entregar essa gestão a essa associação, pois que seja. Mas após a sua constituição (das ZIF´S, diga-se), nunca antes…


Resta dizer que sou plenamente favorável à constituição das Associações Produtoras Florestais, mesmo ainda antes de se pensar em ZIF´S. Penso que seja, senão o único, pelo menos um dos únicos modos de salvar a zona de floresta, que em tempos existiu no nosso concelho. Senão, teremos apenas as pedras, os incêndios periódicos e o nada.


 


António Vicente Reis